Campo Magnético Humano




Não existe no mundo uma única pessoa
capaz de dar a alguém aquilo que não tem para si mesmo.

Cuide de si mesmo com muito trabalho interior, cuide do físico, da mente e do espírito, de dentro para fora e não de fora para dentro; só assim poderá mudar, derrubar muros invisíveis e condição vibratória.

Atraímos igual ao que somos, por isso, se quer atrair diferente, não o procure fora de si, antes de mudar internamente. Ninguém é "Luz" fora de si mesmo; para a sua luz chegar fora de si mesmo, chegar a alguém, terá que acontecer esse fenómeno dento de si, pois o que chegará aos outros nunca será nenhuma Luz, o que chegará aos outros será sempre uma resplandecência da sua Luz interior.

Para isso apenas precisa de "mudar a sua sintonia vibratória", precisa alterar a sua frequência vibracional, precisa alterar o que pensa de si e sobre si ou sobre a sua vida e a sua condição; precisa parar de se lamentar e "deitar a enchada à terra", pois só colhemos o que semeamos.

Cuidado com o que semeia mental e espiritualmente em si mesmo, faça-o com regra; regue regularmente a colheita com harmonia, paz e tranquilidade; aplique em si os conselhos que dá aos outros, quando menos esperar, estará a colher amor e compreensão.

Os problemas são muitos?
Acha que não é capaz?
Deus não coloca peso a mais sobre os ombros de ninguém, só coloca o peso que cada um aguenta, pois é o seu próprio peso, e se foi capaz de criar esse peso, será capaz de o transportar... Nada acontece por acaso.

"As ostras que produzem pérolas são as que foram incomodadas por um grão de areia."

um amigo,
Joaquim Coelho
https://www.facebook.com/estudosbioenergeticos

O Karma, o Livre Arbítrio e o Destino


Que tem o Karma a ver com o uso do Livre Arbítrio?
O que é o Destino?

Se kármicamente temos que passar por isto ou aquilo, como é que podemos escolher? O Destino tem algo de verdade?
São algumas questões que regularmente me são colocadas.
...
Vou aqui tentar desmistificar um pouco estes temas, para isso preciso da vossa compreensão de que o Acaso não existe, por isso: talvez seja o Destino quem o fez chegar a esta página, talvez tenha sido o Karma quem o fez reparar no título deste texto, mas certamente foi pelo uso do seu próprio Livre Arbítrio que decidiu ler o mesmo.

Vamos olhar a imagem que acompanha este texto e fazer uso da mesma como exemplo desta metáfora:
Existe uma estrada, um caminho numa qualquer cidade, num não menos qualquer país, com um pavimento (neste caso) de pedra. Não dos mais confortáveis ao andar, mas também não dos menos confortáveis. Existem uns trilhos (carris de eléctrico), por onde passa o transporte e que tem por finalidade também o suporte do mesmo veículo, entre outras funções.

Olhemos esta estrada e estes carris como o local e o caminho por onde andamos e vivemos, somos o eléctrico, por isso podemos não ter consciência de outros caminhos ou simplesmente a falta de condição para os trilhar... isso é o Karma o facto de sermos "este eléctrico", nesta condição. A viver nestes carris, isso é o destino.

Mas, se olharmos para os carris, podemos constactar que existem cruzamentos, onde podemos optar por "outros caminhos". Ao chegar a estes cruzamentos temos a capacidade, a liberdade e a opção de escolher um deles. Essa escolha é o uso do nosso Livre Arbítrio, onde iremos escolher um dos caminho e teremos que viver esse caminho como o "escolhido", com tudo que tenha de bom ou de menos bom, a paisagem melhor ou pior, os pontos de descanso para repouso e diversão, amigos e familiares que escolheram, ou têm que percorrer o mesmo caminho, provocando encontros ou desencontros, as subidas e descidas serão também diferentes, onde cansaremos mais ou menos consoante o escolhido, etc.

Então, o nosso Livre Arbítrio permite-nos escoher o caminho, pior ou melhor consoante o nosso discernimento, vontades e desejos. O Karma dá-nos "aqueles caminhos" como únicas opções de escolha possível e conhecimento, não quer dizer que não há mais caminhos, quer dizer que eu, nesta fase da minha vida, só posso escolher um destes caminhos. O Destino coloca-me naquela estrada...

- Aceita a estrada,
- Escolhe o carril certo, em equilíbrio e paz,
- Desfruta da Tua viagem, das Tuas companhias e da Tua paisagem, não invejes a dos outros, pois pode ser pior que a tua.

namastê,
Joaquim Coelho

Ocorreu um erro neste dispositivo