natureza humana não está preparada para viver em sociedade

A natureza humana não está preparada para viver em sociedade, está vocacionada para a vivência tribal, está no nosso ADN, na nossa matriz; conseguimos manter umas vivências mais ou menos sociais, desde que isso não interfira com o nosso ego, com as nossas vaidades e quereres, socialmente somos artigos numa montra, na esperança que alguem compre ou copie de nós, para assim nos sentirmos mais importantes, mais influentes.

Na realidade, no que toca a convivência, partilha e aprendizagem, somos simples tribais, em que procuramos as fragilidades nos outros, permitindo assim que nos sintamos acima, melhores que aquele; conhecer as fragilidades e atacar por aí é o que melhor sabemos fazer, é o que melhor faz sentir o ser; podemos ver isso constantemente à nossa volta, nós incluídos.

Todos adoram dar um prato de sopa a um necessitado, desta forma sentem-se bem, superiores, pois o outro tem menos que nós; será que tem?

Da mesma forma atacamos quem tem uma vida melhor, uma vida regular e acima da média, simplesmente porque nos sentimos inferiores. Normalmente o mesmo que adora ajudar um mendigo com uma sandes e um caldo verde, adora da mesma forma rebaixar e dizer mal daquele que não precisa de ajuda para comer e até tem um carro melhor que ele; apenas muda o sentimento, num há raiva incluída; espectros do Ego.

Chega-se ao cumulo da andar á procura de necessitados, bastando muitas vezes olhar para o lado.

Acontece até que adoramos ajudar o mendigo, mas se o rico precisar um dia de ajuda, logo o apontamos como pagador de algo... bem-feito!

Os olhos humanos são toscos, tão toscos que apenas percebem 10 movimentos por segundo, tão toscos que não conseguimos ver a lâmpada do nosso candeeiro a acender e a apagar 50 vezes por segundo (50 HRTZ); é essa visão tosca e trimidensional que nos ajuda a sermos menos humanos, menos sociais e mais tribais; o "desgraçado" materialmente pode ser mais rico que nós, assim como o mais rico materialmente pode ser mais evoluido que nós... o mérito explica isso.

Ao entrar numa sala de espera de um qualquer hospital, se estiver uma criança sem pernas numa cadeira de rodas e um idoso na mesma situação, a maioria pensará ou dirá: coitada da criança, se Deus existisse lá havia casos destes?

Ao olhar o idoso os mesmos pensam: Se Deus te marcou é porque algum erro achou!

Nem se apercebem que num caso incluem Deus na equação e na outra repelem essa ideia.

Incrível como dois seres, um no principio da vida e outro que passou uma vida de sofrimento, os olhos vejam apenas o que queremos que vejam, mesmo que ambos tenham sido colegas de armas numa qualquer guerra, numa qualquer vida anterior.

Da mesma forma é comum um pai viuvo dizer ao filho que a mãe foi para o céu, foi ter com Deus, aos adultos o mesmo pai ou mãe dirá: Se Deus existisse porque me aconteceria isto?

Quando reparamos que os ditos mais espiritualizados sobem ao seu pedestral e se julgam mais evoluidos que os outros, lembrem que cristo era um mendigo e simples carpinteiro, eram os menos evoluidos que muitas vezes matavam a fome ao Mestre.

Se ajudamos é porque só nos lembramos de ajudar no Natal, é porque está a ajudar porque é Sábado e o resto da semana? Existe sempre a critica, na maioria dos casos até pensamentos como "devia ter-me lembrado deste evento", agora é este ou aquele que o faz; e quando muitas vezes se fazem algumas boas acções, logo de imediato teimamos em as estragar, trazendo fotos dos ajudados como se uma montra tivesse de ser enfeitada, ou desatamos a escrever que fizémos isto e aquilo de bom ao nosso semelhante, usamos a miséria alheia para nos auto-promovermos samaritanamente, como se precisássemos desse estandarte constante aos olhos dos outros. Quem verdadeiramente ajuda fica calado, interioriza a ajuda.

Não somos hoje diferentes do que éramos há 3500 anos atrás, essa é a realidade espiritual dos dias de hoje; muita informação tecnologica e espiritual, mas adaptada aos Desejos e Egos pessoais; não Universais!

Uma simples manada no reino animal é mais sábia que o ser humano; os predadores caçam em conjunto, defendem-se em conjunto, alimentam-se e deslocam-se em conjunto, vivem em sociedade.


Quando uma manada é atacada, toda a manada foge, defende-se; defende os mais pequenos e os mais adultos de igual forma e medida adequada, defende os fortes e os fracos, são uma sociedade; desistem do ferido não por oportunidade de fuga, mas por saberem que nada mais há a fazer, até ali não desistem.

JC

Sem comentários:

Ocorreu um erro neste dispositivo