O Ultimo acto não foi do actor, foi do homem

O Ultimo acto não foi do actor, foi do homem

Terminei de ler o livro APROVEITEM A VIDA, de ANTÓNIO FEIO.

Estas ultimas 6 horas, tempo que demorei a ler o livro APROVEITEM A VIDA, foram 6 horas de puro prazer, humor, interiorização e conhecimento da forma de estar e pensar que o António Feio tinha quando estava entre nós. Vi-me ao espelho.

"NÃO DEIXEM NADA POR FAZER, NEM NADA POR DIZER", é um lema que uso há muitos anos, este conselho do Feio veio "reforçar" esta minha forma de estar.

Identifico-me em muitas coisas com o pensar (valores, humor, etc) do António Feio, agradeço a possibilidade que Ele me deu de o conhecer melhor através deste livro.

Confesso que nunca pensei muito no António Feio enquanto homem, nunca pensei nada, para ser mais verdadeiro, limitei-me a "gostar" dele como actor.

Não sou muito de ler livros, ainda menos de os comprar, só compro livros por instinto, mas, quando soube que ía ser publicado este livro, quis de imediato lê-lo.

Desde os comentários de fãs do facebook, as suas respostas aos mesmos, à carta de despedida, a análise das redes sociais como o hi5, o gosto por alguns bens específicos, a família, os amigos, os relacionamentos, etc., todo o livro é um pouco de nós, é de certeza uito de mim, exposto de forma simples, entendível por todos e com muito humor à mistura.

Como escrevi antes, identifico-me, em muitos aspectos, com esta forma de pensar e de estar na vida que o António nos deu a conhecer através deste livro. Todos deviam ler o APROVEITEM A VIDA, pelo valor humano do mesmo.

São 231 páginas devoradas em 6 horas, poderiam ser 100 ou 150 pois o livro não tem conteúdo para mais, mas sabemos como as editoras fazem, esticam, meias páginas e paginas vazias, margens, enfim... as "ferramentas" usadas para "dar" mais páginas, mais livro. Teria comprado o mesmo se tivesse apenas 90 páginas, não o comprei a peso ou pelo numero de paginas, mas sim por quem escreveu ou ditou os textos e a quem se referem.

Admiro a família, os amigos e médicos, que não abandonaram o homem e souberam estar presentes quando foram precisos, admiro a "FAMÍLIA CIGANA" e "OS AMIGOS" que acompanharam, visitaram, conviveram e souberam separar o homem do "BICHO". Surpreendeu-me o homem que escreveu o POSFÁCIO, Dr Nuno Gil, qualidades raras num médico. O que escreveu o SR Nuno Gil homem, fez-me admirar mais o Dr nuno Gil médico.

Não podia deixar de escrever este comentário, este post, depois de ler este livro, sinto-me tentado, mas não vou transcrever os trechos do livro que mais senti, são dispersos, impares.

Ao ler este livro ri à gargalhada, na esplanada do café, ri muito interiormente, fiquei triste, lágrimas teimaram em correr a minha face e outras teimaram em permanecer quietas, nublando os meus olhos enquanto lia certos parágrafos do livro (não no hi5 Tony), foi uma mistura de emoções constante, em que ao começar a ler, não consegui mais tirar os olhos do livro, nem o pensamento do que lia.

Vou almoçar agora, são 18 horas, apenas quero transmitir que mais do que um livro de auto ajuda como dizem (comprei online nessa secção), é a história de vida, as incertezas, as certezas, as alegrias, as desilusões e os sonhos de um homem, que "conheci depois de partir" e lamento não o ter conhecido antes, teria de certeza ido à procura deste homem para "conversar" com Ele.

Quem me conhece sabe que este não é o meu género ( ir à procura de alguem que não conheço), mas teria feito isso, neste caso, pois revi-me neste livro, senti-me em cada parágrafo do que li e partilho de muitos dos que foram os SEUS SONHOS (excepto a marca do 450 cavalos).

Não penso como tu num ou dois aspectos, mas tenho a certeza que já mudas-te de opinião AMIGO.

"não vou parar nem desistir dos meus sonhos" António

Abraço
Joaquim Coelho

Sem comentários:

Ocorreu um erro neste dispositivo