Sociedades Secretas - Templários XVII de XX


RITOS MAÇÔNICOS

Denomina-se de rito maçônico um conjunto sistemático de
cerimônias e ensinamentos maçônicos, esses variam de acordo
com o período histórico, conotação, objetivo e temática dada
pelo seu criador.


Os ritos de hoje mais difundidos são: Os ritos de York, o rito
Escocês Antigo e Aceito, o rito Francês ou Moderno.
No Brasil se exercem todos esses, mais se destacam também o
rito Brasileiro e o Adonhiramita.

RITOS
Características:
ADONHIRAMITA - Criado pelo Barão de Tschoudy, ilustre
escritor, em Paris, França no ano de 1766, de caráter místico
e cerimonial, atualmente só em funcionamento no Brasil.
Iniciou-se no Recife, em 1878. Ficou adormecido até que em
1976, por iniciativa de Lauro Sodré, grão-mestre, deu o
caráter de regular, legítimo e legal para o rito. Este sofreu
atualizações, para a sua forma atual.

ESCOCÊS ANTIGO E ACEITO - Derivou-se do rito de Heredon, em
primeiro de maio de 1786 foram fixados as regras e seus
fundamentos, composto até hoje de 33 graus, atualmente é o
rito mais difundido nos países latinos.

"As Brumas do Escocismo"
Texto extraído de Arthur Franco, "A idade das Luzes" , Wodan,
1997, Porto Alegre, Brasil.
"Em 367 d.c. , Irlandeses, Pictos e Saxões atacam por 3
frentes, de uma vez , as Ilhas Britânicas. As defesas da
fronteira setentrional se deterioram. Elas sao restauradas
posteriormente por Theodósio. Com estas invasões os Scots
começam a cristianização definitiva da Bretanha. Até então, os
Pictos do Norte permaneciam praticamente intocados pela
cultura romana, ou mesmo pela cultura céltica do sul. Apenas
os gaélicos Scots , da Irlanda , conseguiram cristianizá-los.

Vale a pena destacar um evento pouco citado pelos analistas
entusiasmados e pelos estudiosos maçônicos. É que a origem
desses mistérios ocidentais está ligada a esta região, onde
fizeram-se os gaélicos cristianizados por Columbano, que
ganhou o nome de seus conquistadores: a Scotland ou a terra
dos Scots. Todas as lendas de Merlim procedem desta região ,
fronteiriça com o reino Picto (p.229).

As raízes da palavra Escocês a partir do inglês Scot, Scotch,
tem profunda ligação com o pagamento dos obreiros
entalhadores. (Schet = Egito) da madeira pelo seu trabalho, a
partir da cultura céltica da Irlanda e do Norte da Grã
Bretanha, co- irmã da civilização egípcia e com a qual tinha
profundas ligações iniciáticas.

De fato, a raiz mais antiga da palavra Scot está nas primeiras
genealogias irlandesas e britânicas.
As lendas contam que Heber Fionn, o 1° grande Monarca
da Irlanda , morto em 1698 a.c. , era a 22a geração
descendente de Niul (cujo nome originou a palavra Nilo) Niul,
por sua vez , era trineto do bíblico Japhet e desposara uma
princesa egípcia de nome Scota, daí se originando o termo
Scots e seus descendentes. O trineto de Niul, por exemplo foi
coroado rei da Scília com o nome de Heber Surt (ou Scot).

O cristianismo funcionou como um elo de ligação entre as duas
culturas. os druidas traduziram sua antiga tradição na nova
mensagem critã, mantendo acesa a chama do Conhecimento. Por
isto, Jesus começou seu trabalho com a fuga de Maria e José ao
Egito, tendo o epílogo de seu préliplo na Grã Bretanha, quando
José de Arimatéia recolheu seu sangue no graal e levou-o até
Glastonbury.

Inúmeras lendas contam que Jesus esteve com seu tio José na
Inglaterra.
O ritual maçônico, até passar ao ritual atualmente conhecido
como escocês, teve uma longa jornada que começou no período
dos Duidas - os sacerdotes celtas, habitantes originais
daquela região. Eles eram os depositários da Sabedoria Antiga,
passando de boca e ouvidos pelos Iniciados de todo o mundo.

Os escoceses - scots - irlandeses que colonizaram aquela região,
celtas puros, foram responsáveis pelo sincretismo com a nova
religião cristã.

Nos séculos XVII e XVIII, iniciados como o Conde de Saint
Germain prepararam as bases para o Rito Escocês dos Maçons
Antigos, Livres e Aceitos.

Segundo Jean Palou, dois fatos são certos: O Escocismo é uma
forma de maçonaria regular, a forma mais antiga, sem dúvida,
pois suas origens estão no ofício de pessoas que trabalham com
a madeira antes de talhar a pedra. O Escocismo, no correr dos
séculos, incorporou elementos iniciáticos de diferentes
origens, que constituíram o sistema dos Graus Superiores.

Estes últimos apareceram num determinado dia do século XVIII,
porque essa exteriorização tinha-se tornado necessidade
histórica e que nada tem a ver com a lenda stuardista nem com
as influências jesuíticas.

Em 1717, quando foi fundada a primeira Grande Loja de
Franco-Maçonaria em Londres, um grande Iniciado participou da
ligação entre os antigos Mistérios Célticos e Cristãos no
Ritual Escocês à esta época: O Cavaleiro Ramsay, que nesse
mesmo ano tornou-se preceptor da Casa de Bouillon.

Os Bouillon eram descendentes dos antigos merovíngeos, que por
sua vez, continuaram a mais antiga tradição Céltica e Cristã
com uma dinastia descendente do primeiro Rei Franco; Francus.
Esse primeiro Rei Franco apareceu misteriosamente ao mesmo
tempo em que a família de Jesus veio à França através de
Marseilles. Godfroi de Bouillon, o conquistador de Jerusalém,
era a 27a geração após o primeiro Rei Cristão Clóvis; este,
por sua vez, era a 26a geração após Francus. Mas clóvis era,
também descendente da linhagem Real Britânica pela mãe de
Clodomir IV, Rei dos Francos de 104 a 166 d.C..

A mãe de Clodomir IV, Athildis, era a 8a geração após Anna,
Rainha da Inglaterra e filha de José de Arimatéia, este,
tio avô de Jesus.

As lendas de José de Arimatéia na Inglaterra, em Glastonbury,
e a companhia de Jesus em suas constantes viagens a Mendip
Hills à procura de Estanho para a região da Palestina, então,
encontra-se aqui uma preciosa ligação entre Jesus e seus
descendentes do Graal, os Merovíngeos, as tradições Célticas e
Cristãs, os Bouillon e a origem do Rito Escocês. (vide site
Rennes Le Chatêau).

"Até hoje não se deu a devida atenção ao fato de Ramsay ter
sido amigo do Príncipe de Bouillon e ao fato de que a primeira
Cruzada foi exatamente dirigida por Godfroi de Bouillon,
antepassado dos duques do qual Ramsay foi "o protegido" (Jean
Palou, op.cit.,p72)

ESCOCÊS RETIFICADO (1782) - Esse rito consiste numa
reformulação do REAA e o objetivo era retirar um conteúdo por
alguns considerados desnecessários.
ESTRITA OBSERVÂNCIA - Criado em 1764 pelo barão Hund, com
fundamento nas antigas "Ordens da Cavalaria". Era composto de
12 graus. Esse rito deu origem aos ritos da Alta Observância e
o da Exata Observância.

RITO FRANCÊS OS MODERNO - A história desse rito se inicia em
1774, com a nomeação de uma comissão para se reduzir os graus,
deixando apenas os simbólicos. No princípio houve uma forte
oposição, então a comissão decidiu deixar 4 dos principais
graus filosóficos; com o decorrer do tempo, algumas lojas
adotaram o rito. Atualmente, é muito praticada na França e nos
países que estiveram sob sua influência.

HEREDON OU PERFEIÇÃO - iniciado em Paris, em 1958.
YORK (ou Arco Real) - Acredita-se Ter sido criado por volta de
1743, foi levado à Inglaterra por volta de 1977, inicialmente
foi composta de 4 graus, hoje possui 13, atualmente é o rito
mais difundido no mundo.

MIZRAIM OU EGÍPCIO - Surgiu na Itália por volta de 1813, e em
seguida foi levada à França por Marc, Michel e Joseph
Bédarride. Mizr significa Egito em hebraico, e seus
divulgadores afirmam ser derivado dos Antigos Mistérios
Egípcios. Possuem 90 graus, divididos em 4 classes:
Mênphis ou Oriental - Foi introduzido em Marselha (França)
pelos Maçons Marconis de Négre e Mouret, no ano de 1838. Esse
rito dirige seus ensinamentos como os de Mizraim para a
tradição Egípcia, compõe-se de 92 graus divididos em 3 séries.
Mênphis-Mizraim - Rito criado com a reunião dos ritos de
Mênphis e Mizraim em 1899 no Grande Oriente da França.
Mizraim-Mênphis - Rito criado com a reunião dos dois ritos,
com conotação voltada ao Mizraim.

Adoção- Criado pelo grande Cagliostro (veja Alta´Magia) na
França em 1730, e reconhecido pelo Grande Oriente da França em
1774. Trata-se de um rito voltado para a temática egípcia e
com participação de mulheres.

SCHRÖEDER - Criado por Frederik Luis Schröeder, em 1766 na
Alemanha, com a idéia de maçonaria. Conta apenas com suas
características fundamentais iniciais, sem nenhum acréscimo,
estudou muito as origens maçônicas para compor esse rito.

SWENDEBORG- Criado em 1721 pelo sueco Emmanuel Swendenborg,
grande iluminista, teósofo, filósofo, psicólogo, físico e
estudioso dos mistérios maçônicos, desenvolveu este rito em 8
graus, e deu origem aos ritos denominados iluministas.
A maçonaria é uma palavra francesa de origem latina, e o
idioma francês originou-se entre os séculos VIII e XII.
Na história da Ordem, inclui-se razões bíblicas que levariam
muitos a acreditarem que Jesus não morreu na cruz.


Continua...

Sem comentários:

Ocorreu um erro neste dispositivo