A PIRÂMIDE DA VIDA E O ALPINISTA

Existem dois factores importantes na vida.

O ser pode parar de evoluir ou evoluir, a involução não existe.

a maioria das pessoas, Comunidades Espirituais incluídas, vive na vibração do "parar de evoluir". Vive em torno de um circulo em que quer ou deseja o material, o espiritual e demais vibrações que considera positivas e boas. Isso não poderá ser evolução.

Se imaginarmos uma pirâmide de três lados iguais, ela tem três faces, uma base que é ponto mais largo da pirâmide e um pico, o ponto mais estreito da pirâmide. Conforme se sobe esta pirâmide, assim o caminho é cada vez mais estreito e cada vez mais solitário.

As pessoas em geral não estão a subir a pirâmide, estão a andar em volta da mesma algures num ponto do caminho da base ao pico.

andando assim em circulos á volta da pirâmide. Se é num ponto mais alto ou mais baixo não importa, o que importa é que é assim e cada um é o que é da forma que é. Imaginar que estã a subir é uma ilusão que cria para si mesmo. Viva essa ilusão qual acto de ilusionismo fabricado por si e para si.

Ninguém pode subir na pirâmide e aliar crescimento espiritual a crescimento material. Para subir, temos de nos ligar qual alpinista a cordas invisiveis que nos suportam e que nos ligam a seres de mais Luz. Se nos ligamos a seres de cada vez mais luz, por falta de sintonia vamos deixando bagagens de menos luz pelo caminho.

A subida cada vez custa mais, cada vez á mais estreito o caminho.

Os despertos, antes de agarrarem a corda que os ajuda a subir, confirmam primeiro onde está a outra ponta da corda, ao pico da pirâmide? ou a qualquer outro ponto lançada por um menos incauto preso nas malhas da ilusão?

São muitas as cordas, umas ajudam a subir, outras servem para nos manter presos ao mesmo local da subida onde estamos.

Se pelo contrário, queremos aliar espiritualidade a bens materiais, eles são opostos, por isso, temos de optar não ligar a seres de mais luz, mas sim, ficar ligados aqueles que ainda sintonizam no material. De cada vez que se liga acima, assim perde as ligações correspondentes abaixo. Isto não é ser mau, não é ser melhor ou pior. Simplesmente é luz na mesma. Não é escuridão.

Existem muitas variáveis e variantes na Luz. Paramos algures na subida da pirâmide e comtemplamos o dinheiro, a casa, o carro etc etc etc.

Um dia acordamos, cansamos desta ilusão e retomamos a caminhada que um dia começámos.

Estas são as principais razões pelas quais tanta divergência acontece nas teorias da espiritualidade. todas estão certas e todas estão erradas.

Se algures no caminho o médico se deslumbra com uma ferida, fica enfermeiro. Está na mesma na medicina, aceite-se como enfermeiro, não se julgue um médico, e assim, será mais feliz pois viverá de acordo com o que é e não numa ilusão. Isto é a consciencialização, a base. A partir da consciencialização ele poderá retomar os estudos e evoluir para médico.

Não importa que todos aqui se achem médicos ao ler este artigo, importa sim que uns estarão iludidos nas malhas da vida e outros não.

A subida da pirâmide é um caminho cada vez mais estreito e cada vez mais solitário, solitário de matéria e de quem se liga a ela, pois ela pesa presa ao corpo e torna-nos mais pesados impossibilitando assim a subida.

Todos nós, quando nos propomos ajudar alguém, lançamos uma corda abaixo de nós. O outro segura a corda e trepa. por vezes, mais á frente, larga a nossa corda e segura outra que está ligada mais acima ultrapassando-nos na escalada. Muitos sentem desprezo, mágoa, eu estava a ajudá-lo... algures acima ele vai lançar a sua corda para nos ajudar.

Quando lançamos a corda a alguém com uma mão, devemos ver onde está ligada a corda que nos suporta na outra mão, pois a subida do outro depende aqui da nossa própria subida. Não tenhamos inveja de quem lançou a corda antes de nós, estaria certamente mais bem suportado antes de nós. Olhemos antes para baixo e procuremos outro a quem lançar a nossa corda.

Sejamos alpinistas. Tanto é alpinista aquele que continua a subida, como aquele que parou para descansar, sabe que se parar morre com o frio da serra, então, anda em volta da mesma encontrando assim um caminho plano para descansar os musculos das pernas.

Nesta caminhada em circulo, ele tem a mente na subida, poderá pensar, se fechar os olhos, que está a subir...

está?

JC

1 comentário:

*Exilys disse...

Que bela a imagem de escalar a Pirâmide, em pirâmide também!
Feliz daquele a quem foi lançada uma corda que o ajuda a subir...
Feliz daquele que pode atirar uma corda para ajudar a subir...
Se assim formos escalando, em entre-ajuda constante, estamos por certo espiralando ao encontro do Encontro Maior.

Grata pela tomada de Consciência do Alpinista,
*E

Ocorreu um erro neste dispositivo