OS SÍMBOLOS, AS CRENÇAS E AS PESSOAS

Nos tempos de hoje, tanto como nos tempos idos, as pessoas apegam-se a símbolos, imagens, objectos e outros materiais físicos como sendo místicos, religiosos etc.

não há diferença nenhuma entre uma religiosa com o seu terço ou a fotografia do santinho pelo qual é devota e os místicos ou espiritualistas com os seus símbolos ou imagens de mestres.

Em ambos os casos os símbolos ou as imagens, são apenas uma ferramenta para que ao olhar a mesma possa elevar a sua vibração para a oração, meditação e demais trabalhos que se proponha fazer.

As imagens ou objectos, são a prova que o ser humano ainda precisa de muletas para se concentrar ou afirmar no seu trabalho espiritualista.

Este texto vem na sequência de uma irmã aqui da comunidade me ter perguntado porque eu JC usava imagens de lâmpadas, se as mesmas tinham algo de espiritual.

Para mim não, assim como não tem nenhuma imagem ou objecto, a espiritualidade tem que estar nas pessoas e não fora delas, enquanto forem precisos objectos sejam eles quais forem, essa pessoa ainda tem muito a aprender na medida em que se prende ainda ao seu Ego, precisando assim dos sentidos físicos como o olhar, o cheiro, ou a cor para “despertar” naquele instante os seus sentidos etéreos e sensoriais.

Não que esteja contra nenhum dos objectos, imagens, cheiros ou cores, antes pelo contrário, as muletas são todas bem vindas desde que úteis. Este texto vem no sentido de que quanto mais se fala em desapego, mais as pessoas tentam conseguir o desapego com apego a outras coisas.

O ego, o maior inimigo do ser humano; um templário por exemplo ao estar com uma imagem que nem é dele (ao menos que fosse), com vestes templárias por exemplo, está a emanar de si as vibrações do seu ego e da sua vaidade, a mesma vaidade que fez dele um dia templário, já que hoje o não é, o Templário de hoje é espiritual, karma e dharma, mas o seu ego continua como então a falar mais alto.

Místicos, misticistas, espíritas, espiritualistas, reikianos, e demais cognomes, são todos irmãos onde apenas uns aprenderam ou sintonizaram-se mais por aqui ou por ali, acreditem em Jesus quando dizia que somos todos iguais aos olhos de Deus, mais iguais do que pensamos e quando queremos tanto ser diferentes dos outros, ser melhores que os outros, ser mais poderosos que os outros, só mostramos que o não somos.

Critica-se a velhinha que não sabe o que faz coitadinha com o altarzinho dela e seus santinhos. Não saberá?

Não teremos já usufruído das vibrações das suas orações?

Pois é, qual a diferença da velhinha para com os outros?

as crendices dela estão ultrapassadas?

tanto como as novas crendices. Nada de novo aparece ou se cria, tudo se transforma; não é preciso ser místico para saber isto.

usemos as muletas que acharmos necessárias e deixemos nossos irmãos com as deles. Um dia ninguém precisará mais de muletas.

Não somos aquilo que pensamos ser, simplesmente somos aquilo que vibramos.

As minhas imagens de lâmpadas não passam de imagens decorativas do espaço do perfil, achei que eram giras, só isso…

Sou uma pessoa que tento livrar-me do materialismo enterrando-o e não o substituindo por outra matéria.

A sabedoria é de Deus a artimanha não. A 60ª lei universal diz isso mesmo.

Muita Luz
JC


1 comentário:

elsa disse...

OLA SEM DUVIDA QUE CONCORDO CONSIGO,CADA UM COM OS SEUS NOMES MAS TODS PELO MESMO FIM O AMOR UNIVERSAL QUE JA HA MUITO DEVIAMOS SENTIR...ATE PORQUE RELIGIAO SIGNIFICA RE-LIGARE OU SEJA UNIR ....O NOSSO MAIOR TALISMÃ SAO OS NOSSOS COMPORTAMENTOS NO NOSSO DIA A DIA COM OS OUTROS E COM A GRANDE MAE A QUEM TANTO MAL TEMOS FEITO.....PARABENS PELO SEU SABER ESTAR NESTA GRANDE CASA QUE É O MUNDO...ABRAÇOS DE LUZ

Ocorreu um erro neste dispositivo