A Advocacia na Espiritualidade

Todos nós sabemos como funciona um tribunal.
Quando alguém é julgado, é presente a um juiz sendo acusado por um advogado e defendido por outro.

Justo?
não sei, sei apenas que a Lei é a base onde estes dois advogados se vão gladiar entre si com a finalidade de acusar ou defender a acção do outro.

O futuro do réu por sua vez, depende de qual destes dois advogados consegue "usando" os emaranhados e os confusos pontos de vista da mesma lei, convencendo assim um tal de juiz de que está certa esta teoria ou errada a do outro. E nesta senda ambos os advogados entram por caminhos cada vez menos reais e surrealistas, tentando assim descodificar argumentos que em nada têm a ver com a realidade. Quanto mais cresce esta teia, mais se sintoniza com o menos nobre e com a irrealidade chegando até a ser argumento para filmes. Só que os Filmes são terrenos e não de uma galáxia ou plano distante.

O réu?
Esse não importa nesta arena onde dois gladiadores se defrontam tentando agradar a um tal de César dos tempos modernos.Algumas vezes na vida encontrei este tipo de situação referente a vários assuntos. Normalmente não dou atenção precisamente por reconhecer os advogados e juizes nestas conversas informais, sendo aqui o juiz o próprio tema em si. Como dizia o Poeta "chega a sentir que é dor a dor que deveras sente". Entendam como quiserem.

Nas comunidades da vida encontra-se de tudo. Ouve-se, lê-se e opina-se sobre tudo. Uma coisa é certa, assim como na vida terrena um advogado de renome, de nome conceituado no meio a que pertence, "é meio caminho" para "ganhar" uma causa. Tanbém os advogados espirituais saiem caros a eles mesmos e aos outros.

Sai caro?
sim, mas que importa.
O mesmo acontece nos assuntos místicos ou espirituais. Se o que fala ou escreve tem nome na praça publica é Deus a falar, por muito que o advogadozito de coração esteja certo na sua acção. Estes advogados de renome, só a sua presença incomoda ao juiz, por isso a causa está ganha aos olhos do réu.Será assim aos olhos de Deus?

Muito se diz e escreve sobre as mais diversas e ou absurdas teorias (eu incluído), cientistas e fisicos de assuntos espirituais, super homens no meio dos homens, advogados de renome numa cidadezeca de interior... Sabedores de magias e conhecimentos acima do comum das pessoas.Tudo tem uma desculpa. È errado? trata-se já disso arranjando e aflorando com umas pétalas de cristais, umas pitadas de bom senso? uns vapores de palavras de 20 euros (tendo em conta a inflacção), tudo arrumado num vazilha-me de uma côr tida por nobre ou dourada mesmo e de uma matéria ainda mais nobre retirada das minas de um plano acima do 10º (até aí já não pega), e com referências a "esta ou aquela prostituta" vestida de Rainha do astral.

Temos aqui a receita para um banquete, onde os gladiadores se gladiam entre si, para convencer uns juizes pouco conhecedores (quem lê ou ouve), que aplaudirá e ou mudará de opinião consoante argumenta o advogado da esquerda ou o da direita.

O réu?
Esse réu que é o tema pelo qual se debatem, em nada muda, continuará como é, como sempre foi, por muitos e pomposos nomes que lhe ponham nos modernos dias de hoje...

Ups, esqueci, já tudo mudou, agora estamos noutra vibração, já não são tempos modernos mas sim VIBRAÇÕES E PLANOS SUPERIORES.Conheço muito mal esta minha realidade na horizontal e de mim para trás ou abaixo, quanto acima de mim?

Conhecerei quando lá chegar pois em nada muda o meu Eu de hoje nesta realidade que enfrento todos os dias da minha vida.Já no Tempo do Cristo, que com ele aprendi a olhar á minha volta e dar a mão "abaixo" de mim, Haviam destes ADVOGADOS DA ESPIRITUALIDADE que hoje só são lembrados pelo mal que fizeram, e hoje como antes teorizam e colocam na cruz não os cristos, mas a VERDADEIRA ESPIRITUALIDADE E SABEDORIA.

Desde que vi um jornal a dizer correio da manhã, acredito em tudo.

Até em dinheiro de cristal.

JC

Sem comentários:

Ocorreu um erro neste dispositivo