Mediunidade


O que é a Mediunidade?

Muito se fala nos dias de hoje em médiuns e mediunidade, normalmente associado a esoterismo, bruxarias e dons.

Mediunidade é uma ferramenta.
Todos os humanos são médiuns, a razão de termos chackras é apenas para que as entidades possam comunicar connosco, o chackra é assim “a tomada” onde os espíritos se ligam para poderem comunicar e intuir em nós.

A mediunidade, é fácilmente vista e detectada no comum das pessoas, quando por exemplo, ao entrar num determinado ambiente, choram sem razão aparente, ou ao entrar num ambiente mais pesado sentem mau estar ou até vómitos.

Tudo isto acontece devido á mediunidade e estado vibratório da pessoa, conforme estiver mais ou menos desenvolvida a mediunidade, conforme a sua vibração no momento estaja mais ou menos alta, assim sentirá mais ou menos a vibração do local.

Todos nós conhecemos uma pessoa mais sensível que o comum das pessoas, essa sensibilidade é uma característica mediúnica, existem 72 faculdades mediúnicas, sendo as mais conhecidas: a incorporação, a clarividência, a clariaudiência e a sensibilidade.

A faculdade mediúnica é uma característica no comum das pessoas, e a ferramenta usada pelos espíritos quando nos abordam seja para o bem, seja para o mal.

Uma pessoa (todas as pessoas são médiuns), que tenha esta ou aquela característica mediúnica mais aflorada, será mais facilmente influenciada e até conduzida, por um espírito maligno, na medida em que nem acredita nestas coisas, assim, o obsessor está á vontade na sua acção, com a certeza que não será detectado, pois nem acreditam que ele existe.

Nos dias de hoje, em que vivemos num plano muito materialista, são cada vez mais os casos de obsessão. Os médicos, deitam mãos á cabeça com os casos de depressão, esgotamentos, múltiplas personalidades, etc, que chegam ás suas mãos. De salientar que quando chega á situação de procurar um médico com um caso destes, o estado de obsessão está já muito avançado, daí a dificuldade em tratar (mais desenvolvimento na mensagem obsessão).

A mediunidade é uma ferramenta, se usada de forma correcta, eleva a pessoa a patamares, interiores e exteriores, impossíveis de alcançar sem a ferramenta, é também usada por seres extraterrestres (espíritos desencarnados, são extraterrestres, não vivem no plano terreno), bons ou maus, consoante o que atraímos para junto de nós.

Este campo de atracção, que é formado pelas forças centrífuga e centrípeta, comandadas pela nossa mente, através dos nossos pensamentos, gestos, palavras e acções. Assim, fortalecemos a força centrífuga, que circunda o nosso corpo, move-se no sentido dos ponteiros do relógio, de polaridade positiva e cor azul; ou a força centrípeta, que roda no sentido contrário aos ponteiros do relógio, de polaridade negativa e cor vermelha.

Dependendo de qual das duas forças alimentamos, assim criamos um campo de atracção ou repulsão positivo ou negativo; imaginemos um imam, que de um lado atrai, do outro repulsa.

Se este campo de atracção for positivo: atraímos forças positivas, ajudas, os caminhos abrem-se e repulsamos, por falta de sintonia vibratória, as forças negativas, espíritos ignorantes, etc.

Se este campo de atracção for negativo: atraímos forças negativas, espíritos ignorantes serão a nossa companhia mais comum, mau ambiente, etc, e repulsamos, por falta de sintonia vibratória, as vibrações contrárias, ou seja, as vibrações positivas.

Assim, cabe a cada um de nós, seja médium consciente ou não, melhorarmo-nos interiormente, pois só desta forma, através da mediunidade podemos ter uma vida melhor.

A mediunidade não pode ser usada pela vontade de usar, ela simplesmente funciona de acordo com aquilo que somos, claro que se queremos trabalhar como médiuns, usamos as faculdades mediúnicas; mas as que temos, se é com vibração mais baixa ou mais alta, isso depende do que somos como Seres e não do querer no momento.

Não podemos ser um ser de vibração baixa e querer vibrar ou trabalhar com espíritos de Luz, isso não existe, pela nossa vibração Ele nem se aproxima, pois sabe que provocaria um choque vibratório que poderia levar ao desencarne (morte) da pessoa.

Muitas pessoas se dizem com uma mediunidade muito desenvolvida, com dons enormes; se assim fosse, não precisariam de o afirmar.
O dom não existe, só os leigos acreditam nisso; o Dom só as entidades de luz o Têm e dominam.

O médium é apenas o aparelho utilizado pelos espíritos, eles não têm um corpo físico para poderem comunicar connosco, por isso usam um médium disponível e que vibre na mesma faixa vibratória que Ele.
O médium, mesmo desincorporado, não seria nada em trabalho espiritual sem o desencarnado.

Um médium, mesmo que use mal a sua mediunidade: cobrar dinheiro, trabalhos e rituais de baixo astral, etc, não deixa de ser médium por isso, a mediunidade é nata (de nascença), o que acontece é que os espíritos trabalhadores, de forem conscientes, chamados de espíritos de Luz, afastam-se desse médium, ele, pela sua vibração baixa, vai atrair para junto de si espíritos ignorantes, que assim se vão juntar a alguém tão ignorante quanto eles, a lei de atracção funcionou, atraindo ou juntando, vibrações idênticas, vibrações da mesma faixa, que apenas pensam materialmente.

A vibração mais baixa que existe é o materialismo e a vibração mais alta que existe é a humildade.

Se este médium tivesse continuado no bom caminho, dar de graça o que de graça recebeu, dar sem esperar nada em troca, etc, teria continuado a atrair para junto de si espíritos de luz que assim o acompanhariam na sua caminhada de servidão, não confundir com ajudar.

Claro que aqui temos os que dizem: mas as pessoas precisam de viver e de comer.
Sim?
Trabalhem, mediunidade não é profissão, é algo que o médium deve usar e fazer gratuitamente e nos tempos livres.

Se um dos sintomas da obsessão é gostar de vestir roupa preta, que é uma cor negativa, pensemos porque a maioria desses médiuns vestem esta cor? Dirão que é porque gostam… Hum, será como aquele que diz que gosta que lhe batam mesmo que a razão não ache isso normal.

Para terminar, todos nós temos dívidas, de uns para com os outros adquiridas em vidas passadas, não é por acaso que duas pessoas se encontram e é como se conhecessem desde sempre, isso vem do passado, a Lei Kármica é perfeita quando nos apresenta as condições para cumprir a dívida, a Lei de Causa e Efeito é igualmente perfeita na medida em que junta o devedor ao credor. Que quero dizer com isto?

Só vem ter com um médium aquele a quem ele mesmo fez mal no passado, não há coincidências, por muitos médiuns que estejam num centro espírita, o paciente ao chegar, será tratado por aqueles que o mal trataram nas vidas passadas. Assim, quem usa mal a mediunidade, apenas está a aumentar a dívida que tem para com aquela pessoa a quem ele engana ou cobra, cá se fazem cá se pagam.

Ao adquirir a dívida no Totta, não pode pagar no Millenium, paga directamente áquele a quem deve, áquele de quem contraíu a dívida, áquele a quem fez mal no passado.

Aqui entra a mediunidade, a ferramenta adquirida, para poder pagar mais rapidamente um karma que vai já muito extenso. É uma ferramenta para saldar um acumulado de dívidas de um forma mais rápida e assim, poder evitar outras formas de pagamento mais pesadas.
De salientar que o que aqui digo como pagamento, não passa de repor o equilíbrio, é instintivo.

Se criámos uma energia negativa, o equilíbrio é adquirido ao criarmos uma positiva, se hoje você fez algo de negativo, já não pode mudar isso, está feito, já percorre os canais cósmicos, mas pode fazer algo de positivo, e assim, repor algum equilíbrio na sua acção, na sua criação, um menos um é igual a zero.

3 comentários:

António Rosa disse...

JC,

Apreciei e não podia estar mais de acordo.

Ainda só li 2 ou 3 artigos, mas já o tenho nos meus "favoritos", para ir lendo todo o blogue,com calma.

Abraço

António

Mafalda disse...

Olá outra vez, JC. Gostei muito deste artigo. Tenho tido bastante vontade de explorar a minha mediunidade, mas se isso não aconteceu até agora, é porque não tinha de acontecer, e porque provavelmente não estava preparada. Eu sou daquelas pessoas que acha que, quando estamos preparados e de coração aberto, as oportunidades surgem naturalmente, e temos de estar atentos a esses sinais. Continua a escrever.

Um abraço.

Anónimo disse...

Olá, li o artigo com o coraçao, nao sei explicar mas foi assim! gostei de tudo o que li e concordo plenamente. Realmente, é o que penso sobre a mediunidade, todos nós a temos, a dificuldade é saber utiliza la como deve ser. Já sei que nao se agradece, mas agradeço ter lido o que li, pronto!
bjos na tua alma,
Alzira

Ocorreu um erro neste dispositivo